TRICAMPEÃO DA STANLEY CUP! LET'S GO PENS!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Explicações e boas festas aos torcedores brasileiros do Penguins



Chegado o fim de ano o blog terá um recesso de alguns dias que compreendem ao natal e o ao ano novo. Durante esse período, o Penguins fará três jogos que serão posteriormente atualizados no blog (Hurricanes, Blue Jackets e Devils - Todos fora de casa).

Para que você torcedor não fique por fora, os jogos poderão ser acompanhados pelos links que já venho divulgando nos pré-jogos e podem ser acessados clicando aqui.
As partidas serão realizadas nos dias e horários abaixo e não terão o tradicional acompanhamento pelo twitter oficial do blog (PPenguinsBR).

PENGUINS @ HURRICANES - DIA 27/12 ÀS 22:00 DE BRASÍLIA.
PENGUINS @ BLUE JACKETS - DIA 29/12 ÀS 21:00 DE BRASÍLIA.
PENGUINS @ DEVILS - DIA 31/12 ÀS 16:00 DE BRASÍLIA.

Além das informações, a equipe do blog gostaria de desejar a todos os leitores e torcedores do Penguins no Brasil um feliz natal e próspero ano novo. Esperamos que 2014 seja um ano de muitas felicidades, grandes jogos e quem sabe o tetracampeonato da Stanley Cup?

Nos vemos novamente no dia primeiro de janeiro com a retrospectiva de 2013 e a atualização dos pós-jogos das três últimas partidas de novembro. Um abraço do P.A e LET'S GO PENS!


Pré Jogo - Penguins @ Hurricanes


Classificação: Penguins (1º DM - 55pts) e Hurricanes (7º DM - 36pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 40.
Horário: 22:00 de Brasília.
Dia: 27 de Dezembro (Sexta-feira).
Local: PNC Arena - Raleigh, NC.

Após uma derrota por 5 a 0 para o Senators e mais uma perda por lesão (Dupuis), os jogadores terão um merecido descanso para comemorarem o natal e voltarão ao gelo somente no dia 27, data em que viajarão para Raleigh enfrentar o Hurricanes.

Em meio aos muitos desfalques o que se pode esperar e cobrar do Penguins é um time aguerrido e que tentará vencer o Hurricanes jogando com vontade e raça. Qualquer vitória, seja ela no SO ou com um show, é bem vista.
Ainda que a folga na tabela seja grande, vencer é importante para recuperar a autoestima perdida na última derrota vexatória e dar um pouco mais de tranquilidade neste fim de ano.

O time adversário não é dos mais fortes, mas também não é fraco. O calcanhar de aquiles fica por conta da defesa fraca e lenta, o que pode ser uma boa para jogadores rápidos e bons finalizadores, como Neal e Kunitz.
As atenções devem ficar voltadas para três jogadores que vem sendo os principais expoentes dos Canes na temporada: Os irmãos Staal e o jovem winger Jeff Skinner. Mesmo que improvisada, a defesa terá que ter atenção redobrada neste trio que poderá até mesmo figurar em alguns momentos junto no gelo...

Embora a pausa seja relativamente grande, o tempo não será necessário para recuperação de grande parte dos jogadores do DM. Sendo assim, as únicas voltas esperadas são as de Glass e talvez Malkin e Scuderi. Três nomes que ajudariam bastante na reformulação do lineup, mas a equipe continuaria muito desfalcada.
A base provável que enfrentará o Hurricanes é:

KUNITZ  - CROSBY - VITALE
CONNER - JOKINEN* - NEAL
ZOLNIERCZYK - SUTTER - GLASS
ADAMS - SILL - KOBASEW

MAATTA - NISKANEN
BORTUZZO - DUMOULIN
SAMUELSSON** - DESPRES

FLEURY
ZATKOFF (backup)

*Malkin poderá voltar, sendo assim Jokinen voltaria para a ala esquerda e Conner desceria para a terceira linha. Zolnierczyk provavelmente ficaria de fora do lineup.
**Scuderi poderá voltar, deixando Samuelsson fora do lineup.

Meu palpite é: Penguins 4 @ 2 Hurricanes.

O preço que se paga por ser o melhor do mundo



Sei que havia prometido aos torcedores que postagens fora de contextualização com a temporada seriam deixadas predominantemente para a offseason, mas as vezes é bom fazermos algumas fora de época para quebrar o pragmatismo e aumentar a qualidade do conteúdo das postagens.

O que me me motivou a escrever o texto de hoje foi um comentário do narrador do ROOT Sports, Paul Steigerwald, durante a derrota do Penguins para o Senators por 5 a 0 em Ottawa. Paul disse em tom de aviso aos torcedores: "A torcida do Senators vaia Sidney Crosby, mas em fevereiro todos estarão torcendo por ele nas Olimpíadas de Inverno".
Uma citação que deixa claro os preços que Crosby paga por ser o melhor do mundo, por liderar uma equipe que saiu do limbo e foi até a glória em muito pouco tempo, por simplesmente ser um dos principais responsáveis pela recolocação do Penguins entre as maiores franquias da NHL.

Sejamos francos, qual dos times atualmente na NHL dispensaria ter Crosby no seu roster? Que torcedor desaprovaria um jogador de tamanha habilidade no seu time? O grande problema por trás do ódio que todas as torcidas adversárias nutrem por Crosby não é fruto de uma supervalorização do jogador, ele é sim o melhor do mundo e todos sabem disso. Então, qual seria o motivo?

Alguns não gostam de Crosby pois consideram ele um jogador "modinha", que atua em um time que vem crescendo em torcida justamente por sua causa. Afirmam que Sid é invenção da mídia, mesmo sabendo no fundo que ele faz por merecer todo o alarde entorno de seu nome. Acredito que esses não se importariam de ter esse mesmo jogador "modinha" no roster de suas equipes...
Outros odeiam o jogador por motivos de rivalidade. O Penguins vem dando trabalho para muitos times, e Crosby é um dos principais responsáveis por isso... Ninguém gosta de jogadores que constantemente são carrascos do time, como é o caso de Sid em diversas oportunidades.

A grande verdade é que: Crosby é odiado por não jogar no time dos outros. Os torcedores do Red Wings o odeiam por ele não jogar em Detroit, assim como os do Senators o odeiam por ele não jogar em Ottawa... Basta que ele torne-se um jogador da situação, e não da oposição, que ele automaticamente é venerado e assumidamente o melhor do mundo para todos que o apoiam.

Como não se lembrar dos gritos empolgados dos muitos torcedores que estavam na arena quando o Canadá foi medalhista de ouro olímpico em Vancouver com gol de Crosby e o nome dele foi falado para receber a medalha? Ali presentes existiam torcedores de diversas outras franquias, os mesmos que vaiaram dias depois as atuações de Sid pelo Penguins.
Enquanto canadense e jogador da seleção, Crosby era o melhor do mundo. Já como jogador dos Pens, atuando diante das franquias canadenses, Crosby era um "chorão" que não passava de invenção da mídia.

Talvez esse seja o preço que o capitão do Penguins paga por ser o melhor do mundo. Além das cobranças, críticas e expectativas, Sid tem que enfrentar diariamente a birra que muitos torcedores tem contra ele pelo simples motivo dele não atuar na franquia em questão.
É como diz o velho ditado: "Quem desdenha quer comprar".

Enquanto uns vaiam para depois aplaudir, alguns insistem em se enganar procurando motivos e estatísticas para engrandecerem outros jogadores e outros simplesmente fingem que Crosby é apenas uma invenção da mídia, o capitão continua aumentando seus números e trazendo aos torcedores do Penguins e admiradores de hóquei bem jogado, seja qual for o time, lances como esses:


E que o melhor do mundo fique por muito mais tempo em Pittsburgh, podendo até ser vaiado, mas repetindo imagens como as que ilustram a postagem.

Pós Jogo - Penguins 0 @ 5 Senators


A bruxa está solta em Pittsburgh! Se nos jogos a maré de sorte se fazia presente até a derrota de hoje, nas lesões parece que o azar continua aumentando e não tem prazo final.
Os Pens entraram no jogo contra o Senators com 9 desfalques, deixaram o jogo com mais um. Dupuis se lesionou antes mesmo de 5 minutos de partida e não voltou ao gelo...
Fora isso, outros dois sustos, envolvendo Crosby e Niskanen aconteceram. Ambos deixaram o gelo por um período e acusaram alguns incômodos, mas nada que os impedisse de voltar para a partida...

Mas não foi só de perdas de jogadores que a partida foi feita. O Penguins também perdeu, perdeu feio, e merecidamente. O Senators foi melhor, dominou o jogo e mereceu a vitória... Em partes por merecimento próprio em outras pelo azar dos Pens. Verdade seja dita, foi um baile dos canadenses, o Penguins teve uma verdadeira aula de hóquei.
Os donos da casa fizeram o que outras 7 equipes em sequência não conseguiram fazer: Anularam Sidney Crosby e aproveitaram da inexperiência e falta de entrosamento dos defensores para conseguirem a vitória. Além disso, contaram com um péssimo dia de James Neal, que pouco produziu e ficou grande parte do jogo escondido.

Como eles fizeram para anular Sid? Não me pergunte, talvez nem mesmo os jogadores do Senators saibam como fizeram isso. De fato o capitão teve problemas com a defesa do time canadense, que não mediu esforços para jogar fisicamente e intimidar o melhor jogador dos Pens...
Talvez ele estivesse em mau dia, ou talvez a falta de Dupuis dando o suporte necessário tenha feito com que Sid não rendesse o esperado. Nada que o condene, até porque todos sabemos o esforço que ele está fazendo para levar esse time nas costas durante esse período...

Enquanto a bruxa continua solta em Pittsburgh, não há o que fazer, não há motivos para criticar a equipe. Todos sabemos o esforço que Crosby, Bylsma e todos os outros estão fazendo para manter o nível da equipe nesse período péssimo... O que nos resta é parabenizar o Senators e assumir: souberam aproveitar-se da situação e venceram merecidamente um time que estava à 7 jogos invicto.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS: Nenhum.
GOLS DO SENATORS: Smith.
SÍNTESE: O primeiro período foi marcado pelo incrível azar que o Penguins levou durante quase todos os 20 minutos. Logo no começo, Dupuis se machucou devido à um hit sem querer de Crosby. Minutos depois foi a vez de Crosby e Niskanen sentirem incômodos e também irem para o vestiário.
Como se já não estivesse ruim, o puck acidentalmente acertou o árbitro na zona defensiva dos Pens. Resultado? Faceoff e gol do Senators após um desvio.
As coisas só começaram a melhorar quando Crosby e Niskanen voltaram ao gelo, mas mesmo assim o Senators continuou dominando a partida e impondo o ritmo de jogo. Não atoa, os Pens não criaram nenhuma grande chance e foram em grande parte do tempo submissos.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS: Nenhum.
GOLS DO SENATORS: Ryan.
SÍNTESE: O segundo período foi muito mais equilibrado que o primeiro, mas não por conta de melhorias no Penguins e sim devido ao alto número de penalidades cometidas pelo Senators. Seja como for, nenhuma delas foi aproveitada e o Penguins criou diversas oportunidades mal finalizadas, chegando até mesmo a ter 2 breakaways desperdiçados.
Os donos da casa por sua vez tiveram apenas uma boa chance e a converteram. Novamente com um gol de desvio, Ryan foi o responsável pelo segundo gol do Senators e o único do segundo período.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
GOLS DO SENATORS: Karlsson, Turris e Conacher.
SÍNTESE: No terceiro período as penalidades cometidas pelos Sens diminuíram, e com isso a equipe voltou a dominar o jogo sem problemas. Rapidamente definiram o jogo com um lindo gol de Karlsson e posteriormente aumentaram a vantagem com dois gols, um de Turris e outro de Conacher.
Os Pens, perdidos na partida, tentavam ao menos diminuir o placar e evitar um shutout de Anderson, mas não foi possível. O goalie do Senators estava em um dia inspirado e fez dos últimos 10 minutos de jogo a sua consagração, defendendo diversos disparos de Crosby e Kunitz.

PLACAR FINAL: Penguins 0 @ 5 Senators

OBS1: O PP foi péssimo na partida. Várias chances e todas desperdiçadas... Claramente Letang e Malkin estão fazendo falta à esse setor da equipe.
OBS2: Dupuis se lesionou logo no começo da partida, se direcionou ao vestiário carregado por seus companheiros de time e não voltou ao jogo. Ao que parece é uma lesão na região inferior do corpo que não aparenta ser muito grave.
OBS3: Lance curioso na partida! Um puck disparado acertar o juiz é algo que eu particularmente nunca tinha visto em jogos dos Pens na NHL...
OBS4: Nada deu certo no jogo de hoje. Todas as chances criadas foram mau finalizadas, a defesa bateu cabeça e Fleury pouco pode fazer... O Senators dominou o jogo e venceu com méritos.

TROFÉU DO JOGO: Zolnierczyk. Cometeu erros como todos, mas foi um dos poucos que ofensivamente tentou criar algo e se destacou conseguindo várias penalidades à favor.
FOGUEIRA DO JOGO: Neal. Sumido em grande parte da partida, só apareceu em um lance ofensivo e acabou desperdiçando um breakaway. Esperava mais dele diante do Senators, muito mais...

sábado, 21 de dezembro de 2013

Pré Jogo - Penguins @ Senators


Classificação: Penguins (1º DM - 55pts) e Senators (6º DA - 35pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 39.
Horário: 22:30 de Brasília.
Dia: 23 de Dezembro (Segunda-feira).
Local: Canadian Tire Centre - Ottawa, ON.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html
O Penguins atualmente é o time mais "quente" da liga ao lado do Anaheim Ducks. São 7 vitórias seguidas mesmo com uma equipe recheada de desfalques.
Além das ausências, os Pens terão outro grande desafio para manter a boa fase e aumentar a série invicta, uma maratona de 4 jogos fora de casa, começando com uma viagem ao Canadá para enfrentar o sempre perigoso Senators.

De certo 4 jogos fora de Pittsburgh para fechar o mês de Dezembro não serão nem um pouco bons, mas é bom sempre ter a cabeça no lugar e dar um passo de cada vez. O primeiro é vencer o Senators, uma equipe que jogando em seus domínios é muito perigosa, mas vem mal nesta temporada.
O time mais perdeu do que venceu em Ottawa, o que pode ser um bom indicador de que o fator Canadá não será um dos maiores problemas para os Pens, mas sempre é bom lembrar que todo cuidado é pouco.

Na equipe adversária existem jogadores de muita qualidade, tais quais Speeza, Turris, Ryan, Karlsson e outros. Qualquer um desses tem potencial para definir a partida, então sempre é bom tomar cuidado, ainda mais com uma defesa inexperiente como a do Penguins no momento.
O caminho para a vitória não é fácil, mas também não é difícil. O time canadense tem um grande problema na defesa, 5 de seus 6 jogadores são considerados "abaixo da média", o que pode ser muito bom para os wingers do Pens, tanto quanto para os centers. Eu acredito que Dan Bylsma irá explorar as jogadas em velocidade, apostando muito em Kunitz e Neal.

O time base deverá sofrer poucas mudanças. Malkin é esperado para voltar, mas não há nenhuma certeza até o momento. Fleury deverá continuar no gol, sua próxima folga ao meu ver só ocorrerá no ano que vem.
O lineup será mais ou menos nesse formato:

KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
JOKINEN - MALKIN* - NEAL
CONNER - SUTTER - VITALE
ADAMS - SILL - KOBASEW

MAATTA - NISKANEN
BORTUZZO - DUMOULIN
SAMUELSSON - DESPRES

FLEURY
ZATKOFF (bakcup)

* Se Malkin não jogar, Jokinen será o center da segunda linha e o left-winger será Zolnierczyk.

Meu palpite é: Penguins 3 @ 0 Senators.


Pós Jogo - Penguins 4 vs 3 Flames


Novamente foi difícil, suado e no sufuco. Os pós-jogos parecem se repetir neste período em que a equipe está cheia de desfalques. Os Pens não dão show, mas compensam na garra e na raça, apostam em alguns valores individuais e conseguem a vitória.

Contra o Flames não foi diferente. O time todo teve muita disposição e venceu, mesmo que sofrido, merecidamente. Seja pelo que cada um produziu, ou pela genialidade de Crosby que novamente foi decisivo, os Pens conseguiram o triunfo e agora somam 10 jogos seguidos sem perder jogando em Pittsburgh, além de serem o time mais "quente" da liga com 7 vitórias seguidas.

Vale ressaltar que os jogadores lesionados fazem muita falta, mas os seus substitutos não podem ser criticados. Se são piores na técnica ou na experiência, ao menos estão compensando na raça e na vontade. Todos os rookies, jogadores da AHL e os demais que vem tendo a honra de jogar com a camisa do Penguins estão fazendo por merecer.
É claro, as vezes a falta de alguns atributos (entre eles o entrosamento) acaba prejudicando as atuações e acaba fazendo com que jogos fáceis acabem não sendo os famosos shows que os Pens costumam dar, mas no atual momento vencer é o que basta, e quem está no gelo está dando conta desse recado.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Dupuis e Zolnierczyk.
GOLS DO FLAMES: Nenhum.
SÍNTESE: Os primeiros 20 minutos foram muito tranquilos e facilmente dominados pelo Penguins. A equipe demonstrava alguns momentos de falta de entrosamento, mas nada que impedissem que várias chances fossem criadas.
Os Pens conseguiram dois gols, um deles marcado por Dupuis após uma boa jogada de Crosby e o outro dado para Zolnierczyk por conta de um desvio em um disparo de Bortuzzo. Neal teve a chance de fazer outro gol (quando o jogo ainda estava 0 a 0), mas acertou a trave.
O Flames por sua vez pouco incomodou e chegou ao ataque no máximo em duas oportunidades que foram tranquilamente defendidas por Fleury.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Crosby e Niskanen.
GOLS DO FLAMES: Byron e Cammalleri.
SÍNTESE: No segundo período a partida começou a equilibrar-se um pouco mais. Byron fez um gol para os visitantes e os Pens rapidamente responderam com um golaço de Sidney Crosby. Foi do taco do capitão que também saiu o quarto gol, com um assistência milimétrica para Niskanen no final do período. Os Flames por sua vez não deixaram barato e trataram de fazer o segundo gol segundos após o quarto gol dos Pens.
Fora os 4 gols que deram muita emoção ao período, outras boas chances foram criadas para ambos os lados. Os goalies não trabalharam muito, mas as defesas com certeza tiveram grandes motivos para se cansarem... O jogo estava muito parelho e corrido!

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO FLAMES: Hudler.
SÍNTESE: Estatisticamente falando o terceiro período também foi equilibrado, mas na prática houve um leve domínio dos Flames, que levaram mais perigo ao gol de Fleury. Logo no começo Hudler aproveitou-se de uma falha do goalie dos Pens para fazer o terceiro gol dos canadenses na partida, que por pouco não empataram com uma linda jogada que resultou em um puck na trave.
O Penguins até criou boas chances, mas levou pouco perigo e aos poucos ia se preocupando mais em garantir o resultado conseguido do que em aumentar a vantagem. Ao menos a estratégia deu certo o placar ficou por isso mesmo, 4 a 3 para os Pens.

PLACAR FINAL: Penguins 4 vs 3 Flames.

OBS1: O Penguins vinha de 4 jogos seguidos em casa fazendo gols no primeiro minuto, dessa vez o primeiro gol só foi sair com 10 minutos. Não que isso seja ruim, é apenas uma curiosidade!
OBS2: Neal não marcou gols, mas foi muito bem na partida e ajudou muito ofensivamente e defensivamente. Uma pena que sua única boa tentativa tenha pego na trave.
OBS3: Niskanen assustou ao deixar o gelo com suspeita de lesão, deixando assim Despres como o defensor mais experiente (lembrando que Despres é praticamente um rookie). Mas, por sorte tudo ocorreu bem e Niskanen voltou a tempo de ajudar a equipe e fazer seu gol.
OBS4: Dez vitórias seguidas em casa e sete na temporada! Acho que o time encontrou realmente o jeito de jogar, mesmo que muito desfalcado.

TROFÉU DO JOGO: Crosby! Capitão novamente decisivo e suprindo muito bem a falta de Malkin. Fez um lindo gol e participou de outros 2 dando assistências. Mais um jogo em que sua habilidade fez muita diferença.
FOGUEIRA DO JOGO: Fleury. Achei muito perdido na partida, parecia que estava em outro mundo. Tomou dois gols em que mal fez esforço para defender.

Jeff Zatkoff assina extensão contratual de 2 anos


O goalie Jeff Zatkoff permanecerá em Pittsburgh por mais dois anos. Hoje (21/12) pela manhã foi anunciada uma extensão em seu contrato no valor de 600 mil dólares anuais.

Atualmente atuando como backup de Fleury, Zatkoff vem fazendo sua primeira temporada na NHL. Após um começo cheio de desconfianças e partidas ruins, o goalie americano parece ter se encontrado recentemente e vem realizando bons jogos.
Até o momento Zatkoff soma 6 vitórias na NHL, sendo uma delas com shutout que lhe rendeu o prêmio simbólico de melhor da noite.

Embora seja novato na principal liga de hóquei do mundo, o goalie atualmente tem 26 anos e bons números na AHL. Na temporada passa venceu juntamente à Brad Thiessen o Harry "Hap" Holmes Memorial Award e foi eleito um dos melhores goalies da liga pelos comentaristas e torcedores.

Após ter sido anunciada sua extensão, Jeff Zatkoff se manifestou e demonstrou estar muito feliz. "Grande organização, estou animado por estar aqui por mais alguns anos" disse o goalie em uma entrevista dada à Pens TV.

Desejamos boa sorte para Jeff Zatkoff e que ele traga bons momentos para a torcida dos Pens e para a franquia!!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pré Jogo - Penguins vs Flames


Classificação: Penguins (1º DM - 53pts) e Flames (6º DP - 32pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 38.
Horário: 16:00 de Brasília.
Dia: 21 de Dezembro (Sábado).
Local: Consol Energy Center - Pittsburgh, PA.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html

O Penguins tentará manter a boa fase e conquistar a sétima vitória seguida diante do Flames jogando em Pittsburgh, local em que o time perdeu apenas três partidas na temporada inteira até o momento.
O favoritismo e o momento estão todos a favor dos Pens, mas resta a equipe confirmar tudo isso e garantir a sétima vitória seguida, isolando-se ainda mais na liderança da divisão metropolitana.

Todos os fatores apontam para uma vitória dos Pens. Se pegarmos pela atual fase, não há nenhuma equipe que vive melhor momento. São 11 vitórias nos últimos 12 jogos, sendo 6 dessas vitórias seguidas e com um time totalmente desfalcado.
Em contrapartida o Flames vive um momento instável e acumula diversas derrotas, assim como algumas vitórias inexplicáveis.

Além do duelo entre um time regular e outro totalmente irregular, os Pens também levam vantagem no que diz respeito ao retrospecto jogando em Pittsburgh até o momento. São 16 vitórias e apenas 3 derrotas, enquanto os adversários venceram apenas 7 vezes jogando fora de seus domínios e perderam as outras 12 vezes.

Há motivos para deixar que estes fatos apontem um grande favoritismo? Sim! Mas, essa vantagem só poderá ser válida se for confirmada no gelo. O time tem jogadores para vencer, vive um momento bom e está diante de uma adversário muito mais fraco.
Acredito que o calcanhar de aquiles do time deva ser a defesa que passa por um momento difícil e cheio de jogadores improvisados, mas após vencer adversários ofensivamente muito melhores que o Flames (por exemplo Rangers e Leafs), este quesito deixou de ser uma desculpa.

A base da equipe que enfrentará o Flames ainda é muito desfalcada, mas ao menos a volta de Evgeni Malkin é esperada. O lineup deverá ser montado da seguinte maneira:

KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
JOKINEN - MALKIN* - NEAL
CONNER - SUTTER - VITALE
ADAMS - SILL - KOBASEW

MAATTA - NISKANEN
DUMOULIN - BORTUZZO
SAMUELSSON - DESPRES

FLEURY
ZATKOFF (backup)

*Caso Malkin não jogue, Jokinen será o center da segunda linha e Zolnierczyk será o left-winger.

Meu palpite é: Penguins 5 vs 1 Flames.

Boletim Médico #1 - Malkin perto de voltar ao gelo


Em meio as muitas lesões que cercam uma temporada de hóquei, o blog não pode passar batido por elas. Sendo assim, nossa equipe decidiu abrir um espaço para comentar sobre os jogadores lesionados, suas previsões de volta e avaliações da evolução de cada uma das peças importantes do elenco que estão no departamento médico.

O Boletim Médico será realizado sempre que for necessário esclarecimento de dúvidas sobre o estado de alguns jogadores recém lesionados ou que ainda não voltaram ao gelo e estão há muito tempo sem atuar.
As postagens desse informante não terão uma periodicidade definida, portanto alguns lesionados podem passar batido e serem apenas comentados durante os pré-jogos e pós-jogos.

Estreando essa nova maneira de trazer informações sobre os lesionados, o primeiro Boletim Médico traz o atual status de 11 jogadores que atualmente não estão disponíveis para o técnico Dan Bylsma.
Alguns deles tem previsões definidas de volta enquanto outros não sabem ao certo quando poderão voltar ao gelo e reforçar a equipe.

EVGENI MALKIN
Status:
Em fase final de recuperação.
Comentário: Geno teve uma pequena lesão na partida diante do Red Wings e perdeu 3 jogos seguidos. Sua falta embora tenha sido sentida, não acarretou em nenhuma derrota da equipe. Ele é dúvida para o próximo jogo contra o Calgary Flames e poderá atuar dependendo de uma última avaliação, no mais tardar daqui 2 jogos o center estará de volta aos lineups.

ROB SCUDERI
Status: Em recuperação.
Comentário: Pouco se sabe sobre o real estado de Rob Scuderi. O jogador que já voltou a patinar nos treinos parece ter estagnado na recuperação e continua sem data prevista para voltar ao time principal. Algumas fontes não confiáveis afirmam que até o meio de janeiro ele já estará de volta.

ANDREW EBBETT
Status: Em fase inicial de recuperação.
Comentário:
Ebbett continua em repouso e ainda não tem previsão de volta ao gelo. Tudo indica que ele apenas voltará em março ou no fim de fevereiro.

DERYK ENGELLAND
Status: Com incômodos.
Comentário: Engelland relatou que estava sentindo incômodos e uma avaliação foi feita para saber se há alguma lesão maior ou as dores eram apenas em decorrência da extensa maratona de jogos.

BEAU BENNETT
Status: Em recuperação.
Comentário:
Recuperando-se de uma cirurgia na mão, Bennett não deverá voltar aos lineups tão cedo. Mesmo com uma boa evolução na recuperação, o jogador perderá os meses de janeiro e fevereiro, tendo previsão de volta apenas para o começo de março caso tudo ocorra bem.

TOMAS VOKOUN

Status: Em recuperação.
Comentário:
Vokoun ainda se recupera de uma lesão que quase o matou. Seu prazo de volta continua o mesmo, ou seja, provavelmente só veremos o goalie atuando novamente em março caso ele volte ao gelo. Alguns comentaristas afirmam que esta lesão poderá acarretar na aposentadoria de Vokoun, já que ele talvez não terá tempo hábil para retomar o ritmo de jogo à tempo de voltar aos lineups antes dos playoffs.

TANNER GLASS

Status: Em recuperação.
Comentário:
Após quebrar a mão direita, Tanner Glass é outro dos jogadores que está perto de retornar. Seu tempo de recuperação já é longo e a evolução foi muito boa, mas os médicos evitaram fazer qualquer previsão de retorno. Eu apostaria em uma volta no fim de dezembro, no mais tardar no meio de janeiro.

PAUL MARTIN

Status: Em recuperação.
Comentário:
Martin ainda está se recuperando e é um dos jogadores que melhor vem evoluindo! Algumas fontes não confiáveis acreditam que o jogador voltará ao gelo no meio de janeiro, porém outros dizem que apenas em fevereiro teremos o camisa 7 novamente nos lineups.

BROOKS ORPIK

Status: Em fase inicial de recuperação.
Comentário:
Após sofrer uma concussão em decorrência de uma jogada ilegal de Thornton (Bruins), Orpik está em estágio inicial de recuperação. O defensor passará por uma série de avaliações e procedimentos médicos peculiares para lesões na região da cabeça, que devem ser tratadas com muito cuidado. Não se sabe quando ele voltará, mas o jogador já está patinando novamente e terá um tempo estipulado para voltar a poder ter contato físico em jogos treino.

JAYSON MEGNA

Status: Em fase inicial de recuperação.
Comentário:
Megna perderá no mínimo 6 semanas por conta de sua lesão na região inferior do corpo. O jogador encontra-se em fase inicial de recuperação e até o momento teve apenas uma avaliação feita.

KRIS LETANG

Status: Em fase inicial de recuperação.
Comentário:
Lesionado na parte superior do corpo, Letang não tem previsão de volta, mas ao que tudo indica sua lesão não é das mais graves e as apostas para seu retorno rondam entorno de meados de janeiro e no mais tardar começo de fevereiro.

Pós Jogo - Penguins 5 vs 2 Wild



Os Pens receberam o Wild em Pittsburgh e fizeram o que deveriam ter feito, ou seja, dominaram a partida e garantiram mais dois pontos. Os meios pelos quais o time chegou à vitória podem parecer estranhos, já que é incomum ao torcedor ver o Penguins utilizando recursos como o jogo físico e o jogo sujo... Seja como for, isto é hóquei e o que importa é o resultado final, que foi muito positivo!

É claro que nenhuma equipe ganha somente por ter um grande número de brigas e minutos de penalidades acumulados e defendidos com sucesso. Os Pens se portaram diferente, abusaram em certas horas de um estilo de jogo que não é normal para a equipe, mas mesmo assim não perderam a essência. A equipe continuou se portando de maneira dominante jogando em casa e ofensivamente teve poucas alterações no modelo básico de atuação.
De qualquer forma, os meios pouco importam quando se tem em mente que a vitória foi merecida. Os Pens foram superiores, decidiram a partida rapidamente e ainda contaram com um gol mágico no terceiro período que acabou com qualquer chance adversária de se reencontrar na partida.

Se pareceu estranho ou não, o que realmente deve ser ressaltado é que o estilo de jogo implantando funcionou. Pode não ser o melhor para os Pens, mas neste jogo foi eficiente, deu resultado e ainda por cima mostrou que o elenco tem opções e jogadores capacitados para atuarem de diferentes modos, com diferentes estratégias... E convenhamos, as vezes é bom ver a equipe mudar um pouco, nem que seja por apenas um jogo.


1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Kunitz.
GOLS DO WILD: Nenhum.
SÍNTESE: O primeiro período foi inteiramente dominado pelos Pens. O time do Wild não assustou nenhuma vez o gol defendido por Jeff Zatkoff e sofreu muito para conseguir criar qualquer oportunidade diante da defesa do Penguins.
Mesmo dominando e sendo pouquíssimas vezes ameaçado, apenas em uma oportunidade os Pens conseguiram o gol após uma falha do goalie do Wild e oportunismo de Kunitz. Fora isso, algumas boas defesas de Backstrom e um puck disparado na trave fizeram com que a torcida se levantasse na arena.
Além disso, logo no começo duas brigas aconteceram. Uma delas envolveu Adams e Konopka e a outra Kobasew e Ballard.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Sutter, Niskanen e Kunitz.
GOLS DO WILD: Pominville.
SÍNTESE: Se os gols faltaram no primeiro período, no segundo eles sobraram. Sutter, Niskanen e Kunitz fizeram em 10 minutos o placar aumentar para 4 a 0, definindo a partida e praticamente garantindo mais uma vitória para os Pens.
A grande vantagem gerou um certo relaxamento que logo resultou no primeiro gol do Wild, marcado por Pominville em uma boa jogada do sistema ofensivo adversário. Mas, não havia mais tempo no segundo período para tentar uma reação, o jeito era esperar e ver como ambas as equipes se portariam nos 20 minutos finais.
Vale ressaltar também a briga entre Neal e Ballard. O confronto marcou a segunda briga do jogador do Wild na mesma partida, já que anteriormente ele havia se envolvido em uma confusão com Kobasew.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Maatta.
GOLS DO WILD: Heatley.
SÍNTESE: Logo no início do terceiro período o Wild mostrou que queria colocar fogo na partida e buscar uma reação inimaginável. Heatley fez um gol para diminuir a vantagem para apenas 2 gols e os seus demais companheiros de time trabalharam em diversas oportunidades que foram mal concluídas.
O jogo estava em aberto devido à intensidade que o time adversário estava jogando em busca do empate, mas um lance mudou por completo o fim da partida e decretou a vitória. Em um momento de desvantagem numérica, o PK dos Pens trabalhou muito bem e gerou um breakaway em que Maatta por pouco não converteu, aliás, não converteu porque sofreu uma falta que gerou um penalty shot para os Pens... O defensor rookie não se mostrou nervoso e teve a calma necessária para deslocar Backstrom e anotar o quinto gol dos Pens, um short-handed goal em um penalty shot...
O gol de Maatta serviu como um "balde de água fria" nas pretensões do Wild, e fez com que o time de Minnesota abandonasse por completo as ofensivas, transformando o resto da partida em um jogo monótono em que uma equipe valorizava o resultado e a outra mal fazia questão de jogar. E quem diria que um rookie tem todo esse poder? Pois é, Olli Maatta teve e ainda tem.


PLACAR FINAL: Penguins 5 vs 2 Wild.

OBS1: Kunitz fez uma partida muito boa! Dois gols de puro oportunismo e boa colocação, duas características típicas de um goleador nato.
OBS2: Niskanen fez seu melhor jogo da temporada. Foi muito importante defensivamente, mas também ajudou no ataque. Fez um belíssimo gol em um disparo indefensável e ainda contribuiu com uma assistência.
OBS3: Dupuis foi um verdadeiro guerreiro na partida. Não fez gols e ajudou em apenas uma assistência, mas seu desempenho vai além das estatísticas. Ele foi sem dúvidas o jogador que esteve mais empenhado e focado na partida, doou-se 100% do tempo e merece ser ressaltado por isso.
OBS4: Crosby fez um jogo mediano, longe de seus dias inspirados, mas mesmo assim terminou a partida com saldo de dois pontos, ambos em assistências.
OBS5: Jogo com muitas penalidades para ambos os lados. O clima estava tenso entre as equipes e isso foi claramente visto no número de brigas. Foram três ao total...
OBS6: A partida marcou a volta de Matt Cooke à Pittsburgh. O jogador, conhecido por suas jogadas sujas e seu "trash talk" não se envolveu em confusões e mostrou muito respeito pelo Penguins, franquia na qual ele conquistou uma Stanley Cup.

TROFÉU DO JOGO: Maatta! Fez um jogo muito bom defensivamente e ofensivamente também, dando uma assistência e fazendo o gol que decretou a vitória dos Pens. Além disso, vale ressaltar a tranquilidade esbanjada pelo defensor no momento do penalty shot, algo que até mesmo alguns veteranos não tem.
FOGUEIRA DO JOGO: Neal. Teve algumas boas chances, mas demonstrou um pouco de irresponsabilidade em sua volta ao gelo após uma suspensão. O jogador teve momentos de infantilidade e se envolveu em confusões desnecessárias.

Pós Jogo - Penguins 4 @ 3 Rangers (SO)



Mais uma vitória sofrida, brigada e conseguida na raça. Se o time não pode dar show por conta dos desfalques que prejudicam o entrosamento, ao menos as demonstrações de vontade vem agradando muito à torcida...
Não atoa os Pens estão com 10 vitórias nos últimos 11 jogos, uma marca muito difícil de ser conquistada, ainda mais no atual momento que a equipe vive.

O Rangers foi um adversário de peso, valorizou a vitória do Penguins e fez valer até o quinto disparo no shootout. O equilíbrio da partida se deu por conta de que ambos os times queriam muito a vitória, e ambos souberam aproveitar algumas chances e outras desperdiçaram...
Se for para resumir em uma palavra, o jogo foi decidido nos famosos detalhes. Um puck que não entrou de um lado, uma defesa importante do outro e por fim os 2 pontos poderiam ficar para qualquer um dos times sem injustiça alguma.

Por sorte, competência e garra, os Pens conseguiram eles e agora se isolaram ainda mais na liderança da divisão metropolitana. Além disso, conquistaram uma vitória jogando fora de casa, no Madison Square Garden. Com certeza serão poucas as equipes que conseguiram esse feito, então estes pontos valem até mais, pois eles são o que separa o Penguins de uma equipe normal.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS: 
Nenhum.
GOLS DO RANGERS: Nenhum.
SÍNTESE: Os primeiros 20 minutos foram de muitas jogadas em velocidade e um jogo muito aberto. Tanto Rangers quanto Penguins tiveram boas chances de abrirem o placar, mas terminaram sem gols devido as boas atuações dos goalies de ambos os times.
O primeiro período ainda marcou alguns tensões entre os jogadores, que geraram penalidades infantis e um estranhamento entre Zolnierczyk, Lundqvist e Del Zotto.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Kunitz.
GOLS DO RANGERS: Hagelin.
SÍNTESE: No segundo período o jogo continuava muito rápido e com boas chances. Diferente da primeira etapa, as duas equipes conseguiram fazer gols, mas o empate foi mantido após os 40 minutos jogados.
Os primeiros a tomarem a liderança no placar foram os Pens com um PPG de Kunitz. Os donos da casa responderam rapidamente e recolocaram a igualdade no marcador com um golaço de Hagelin.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Dupuis e Sutter.
GOLS DO RANGERS: Zuccarello e Brassard.
SÍNTESE: A terceira etapa foi marcada por dois momentos distintos. No começo o Penguins jogava melhor e conseguiu dois gols que pareciam colocar fim na partida. O primeiro foi marcado por Dupuis após uma belíssima jogada de Crosby e o segundo foi um golaço de Sutter que certamente estará entre os mais vistos da semana na NHL.
Passado o bom momento, o Rangers conseguiu uma reação rápida e inverteu os papéis. Dominando a partida e empurrados pela torcida que lotava o MSG, os donos da casa empataram o jogo com 2 gols rápidos, sendo o último deles um lindo PPG de Brassard. Por pouco não fizeram o terceiro gol seguido e venceram a partida, mas não restava tempo e a partida iria para o overtime...

OVERTIME.
GOLS DO PENGUINS: Nenhum.
GOLS DO RANGERS: Nenhum.
SÍNTESE: Nos 5 minutos adicionais de hóquei o equilíbrio voltou a prevalecer. Kunitz teve uma chance e desperdiçou, Richards teve outra para o Rangers e parou em Fleury.
Por pouco Crosby não fez o gol da vitória faltando segundos para o fim, mas o puck foi defendido milimetricamente por Lundqvist.

SHOOTOUT.
GOLS DO PENGUINS: Sutter.
GOLS DO RANGERS: Nenhum.
SÍNTESE: Foram necessárias 10 cobranças (5 do Rangers e 5 do Pengins) até que o gol saísse. Sutter foi o autor do disparo e garantiu a vitória dos Pens em um shootout atípico em que as grandes estrelas de ambos os times erraram todas as cobranças.


PLACAR FINAL: Penguins 4 @ 3 Rangers.

OBS1: Crosby, Kunitz e Dupuis tiveram uma grande apresentação em conjunto. Demonstraram uma sintonia incrível, algo que poucas linhas de times da NHL tem.
OBS2: Fleury foi bem na partida, mas em alguns momentos mostrou-se desatento. Por esse motivo alguns criticaram ele e atribuíram o segundo gol do Rangers à uma falha sua, o que ao meu ver não ocorreu.

TROFÉU DO JOGO: Sutter. Fez um golaço no terceiro período e foi o único a converter uma cobrança no shootout.
FOGUEIRA DO JOGO: Niskanen. Não foi bem como estava indo nas partidas anteriores e de quebra saiu como culpado pelo PP que gerou o terceiro gol do Rangers.

Pós Jogo - Penguins 3 vs 1 Maple Leafs



Os Leafs jogaram melhor, mas os Pens mereceram vencer... Essa frase poderia não ter sentido algum, se não fosse a verdade que cercou o resultado final da partida.
Para explica-la basta lembrar-se do número de desfalques que o Penguins tinha para o jogo. Estava sem seus 4 principais defensores, sem 2 jogadores da segunda linha ofensiva titular e com uma série de duplas e linhas improvisadas, com jogadores que nunca atuaram juntos em jogos oficiais.

Uma equipe como essa pode jogar pior que outra e merecer a vitória. As circunstâncias permitem isso, e permitiram desta vez que essa premissa fosse verdadeira.
O time sentiu muito a ausência de Malkin, o que certamente favoreceu os adversários, mas Crosby foi decisivo e conseguiu suprir parcialmente a falta de seu colega de equipe. Outras ausências sentidas foram as dos 4 principais defensores, porém Fleury fez defesas espetaculares e conseguiu deixar de lado os buracos e falhas na marcação, em grande parte cometidas por falta de entrosamento ou experiência.
Diante de atuações como essas, de Crosby e Fleury, e de todos os outros que se esforçaram ao máximo para conseguirem a vitória, pode-se dizer que ela não foi merecida pelo baixo desempenho da equipe?

Ficou evidente que o Maple Leafs dominou o jogo não por superioridade e sim por estar mais apto ao jogo, ou seja, com menos desfalques e improvisações e com uma equipe base que joga junto desde o início da temporada.
Sendo assim, os Pens resistiram da melhor maneira possível, contaram com atuações individuais e venceram na raça. Fizeram com que a superioridade do adversário não significasse nada mais do que estatísticas que engrandeceram o feito dos jogadores...
E se querem realmente saber, eu confirmo: Esta equipe jogou pior sim, os Leafs foram superiores. Mas, não se esqueçam da observação mais importante, o Penguins mereceu cada minuto dessa vitória.
1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Conner.
GOLS DO MAPLE LEAFS: Nenhum.
SÍNTESE: O primeiro período foi muito equilibrado e ambos os times tiveram chances de terminarem os 20 primeiros minutos com o placar favorável. Por sorte e competência, os Pens largaram na frente logo nos primeiros segundos com um gol de Conner, que também foi o único gol do período.
Fleury de um lado e Reimer do outro faziam partidas excelentes e defesas fantásticas. O verdadeiro duelo dos 20 minutos iniciais era entre os dois goalies...
Vale ressaltar que Bortuzzo e Bodie brigaram, mas o confronto não empolgou os torcedores e terminou rapidamente.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO MAPLE LEAFS: Rielly.
SÍNTESE: O segundo período teve algumas mudanças em relação ao primeiro. A principal delas foi o fim do equilíbrio na partida, os Leafs assumiram o domínio do jogo e desta maneira conseguiram anular as jogadas do Penguins e contra atacar com boas oportunidades.
Uma das chances adversárias resultou no gol de empate, marcado por Rielly. Por pouco outros dois breakaways não fizeram com que o time canadense assumisse a liderança na partida, ambos foram defendidos por Fleury que se concretizava como o melhor jogador dos Pens no gelo.
Outro fato marcante do segundo período foi a segunda briga de Bodie, dessa vez com Zach Sill. Novamente o confronto não foi bom e ambos os brigões perderam minutos no gelo atoa.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Crosby e Sutter.
GOLS DO MAPLE LEAFS: Nenhum.
SÍNTESE: Os 20 minutos finais foram praticamente iguais aos do segundo período, a única diferença é que o Penguins contou com as milagrosas defesas de Fleury para não ficar atrás no placar e com o poder de decisão de Crosby para desempatar o jogo e segurar a vantagem até o final, momento em que Sutter aproveitou-se de um empty-net para decretar o fim da partida.
Os Leafs foram melhores, mereceram o gol diversas vezes, mas pararam em Fleury que consagrou-se como o melhor do jogo. Os Pens por sua vez criaram uma única chance que foi convertida por Crosby com uma calma inexplicável e peculiar do melhor jogador do mundo, além de é claro, aproveitarem de um momento de vacilo do time canadense para aumentarem a vantagem com Sutter em um empty-net goal.


PLACAR FINAL: Penguins 3 vs 1 Maple Leafs.

OBS1: Crosby novamente foi decisivo. Teve uma única oportunidade e soube aproveita-la, dando um "balde de água fria" no Maple Leafs. Sua calma e eficiência no disparo são inexplicáveis e totalmente peculiares... Como já disse anteriormente, é coisa de melhor do mundo, é jogada que só o capitão dos Pens consegue fazer com tamanha grandeza e estrela.
OBS2: Niskanen foi importantíssimo defensivamente. O jogador foi um dos grandes líderes do sistema defensivo e soube coordenar uma defesa cheia de improvisos e jogadores sem experiência necessária para uma partida de tal porte e dificuldade.
OBS3: Duas brigas que poderiam ter sido evitadas. Não vi nada demais em nenhuma delas...

TROFÉU DO JOGO: Fleury! Foi o principal responsável pela vitória ao defender chances incríveis do Leafs que certamente teriam dado a vitória para o time canadense.
FOGUEIRA DO JOGO: Kunitz. Não foi bem no jogo, parecia em alguns momentos desligado da partida e com pouca vontade de jogar.

Pós Jogo - Penguins 4 @ 1 Red Wings


Os Pens parecem ter encontrado o caminho certo para seguir nessa temporada. Mesmo com desfalques, viagens e algumas dificuldades normais, a equipe vem jogando bem, dominando os adversários e transformando confrontos difíceis em partidas muito fáceis.

Foi assim com o Red Wings. Um jogo que tinha tudo para ser complicado rapidamente tornou-se um dos mais fáceis da temporada até o momento.
Muito disso se deve à genialidade de Malkin e Crosby, dois jogadores que praticamente definiriam a partida e esbanjaram habilidade e poder de decisão. A eficiência de ambos foi algo fora do normal, assim como a capacidade de transformar jogadas ruins em oportunidades boas também ficou claramente demonstrada.

Agindo como maestros da equipe, pode-se facilmente dizer que os Wings provaram de uma das piores situações quando se enfrenta o Penguins, uma noite inspirada de Malkin e Crosby!
Quando um está em um dia bom já é algo difícil para qualquer adversário, imagine quando os dois conseguem demonstrar toda sua habilidade na mesma noite? Certamente o resultado é bem favorável aos Pens, e dessa vez não foi diferente. Não é atoa que a dupla é chamada de "monstro de duas cabeças".

Vale ressaltar que no pré-jogo foi citada a mística da Joe Louis Arena, além de que era esperado uma pressão muito grande dos torcedores do Red Wings. O que foi visto foi o oposto disso, a arena por motivos inexplicáveis, estava vazia e a pequena torcida dos Wings que estava presente mal apoiou o time... Em grande parte dos torcedores deixaram o jogo antes mesmo do final, quando perceberam que a partida estava praticamente finalizada após o quarto gols dos Pens.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
 Crosby e Malkin.
GOLS DO RED WINGS: Kronwall.
SÍNTESE: Os primeiros 20 minutos foram de poucas chances para ambas as equipes e um domínio parcial dos Pens. Os donos da casa chegaram a assustar, mas o Penguins foi quem teve as melhores oportunidade e soube aproveita-las...
Os Wings abriram o placar com um gol de Kronwall logo no início da partida, mas tiveram pouco tempo para comemorar e logo sofreram o empate em um PPG de Crosby. Não demorou muito e novamente em um power-play foi a vez de Malkin virar o placar e deixar os Pens na vantagem de 2 a 1 na primeira etapa.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Maatta.
GOLS DO RED WINGS: Nenhum.
SÍNTESE: No segundo período o Penguins continuou melhor na partida e transformou a superioridade em algumas poucas e boas chances, em geral criadas mediante a genialidade de Malkin e Crosby que mostraram estarem em uma noite muito boa. Em uma das oportunidades, Maatta aproveitou para aumentar o placar para 3 a 1.
O time de Detroit até tentou empatar e posteriormente diminuir o placar, mas todos os disparos eram defendidos por Zatkoff que demonstrou estar muito seguro na partida. Quando foi testado correspondeu à altura do que se esperava.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Crosby.
GOLS DO RED WINGS: Nenhum.
SÍNTESE: O terceiro período seguiu o mesmo modelo do segundo. Os Pens tinham as melhores chances, aproveitaram uma delas para finalizar o jogo com um belíssimo gol de Crosby e contaram com um bom desempenho dos defensores e de Zatkoff para impedir qualquer tipo de tentativa de reação do Red Wings.
De emocionante, somente o gol de Sid, o resto do período foi monótono e completamente dominado.


PLACAR FINAL: Penguins 4 @ 1 Red Wings.

OBS1: Malkin deixou a partida lesionado e ainda está sem previsão de volta ao gelo. Não se sabe a real gravidade da lesão.
OBS2: Crosby e Malkin estavam em uma noite muito boa. A dupla foi a grande mentora do time rumo a vitória e não teve nenhum gol dos Pens em que algum deles não tenha participado. Em alguns inclusive, ambos participaram.
OBS3: Dois gols e uma partida muito boa, esse foi o saldo de Crosby no jogo. O capitão pois fim as críticas de que ele não fazia gols e logo de cara fez dois.
OBS4: Zatkoff esteve seguro em grande parte da partida e fez algumas defesas importantíssimas. Por pouco não foi eleito o melhor da partida, e por menos ainda não conquistou mais um shutout para sua recente carreira.

TROFÉU DO JOGO: Malkin! Saiu lesionado do gelo no que pareceu algo com uma gravidade média. Antes de se machucar, o center dos Pens estava jogando muito e fez com que seus 12:22 minutos no gelo gerassem 3 gols. Um foi marcado por ele, os outros dois ele teve participação dando assistências.
FOGUEIRA DO JOGO: Engelland. Ficou perdido em alguns momentos e fez algumas jogadas que poderiam ter resultado em penalidades infantis. 

Explicações - Fim de ano no blog

A postagem de hoje foge ao padrão de posts do blog. Textos como esse não serão corriqueiros!


Chegado o fim de ano todos se reúnem para merecidas férias, menos os jogadores de hóquei. Os times continuam à todo vapor e jogam inclusive no último dia do ano.
Nós da equipe do blog Pittsburgh Penguins Brasil gostaríamos de acompanhar com afinco até as últimas partidas de 2013, mas como todos sabemos, existem compromissos pessoais que não podem ser desmarcados nessa época final de ano...

Visando isso venho antecipadamente me desculpar com os leitores pois o período que compreende a última quinzena do mês de dezembro é realmente complicado. Nem sempre terei acesso ao computador em que escrevo os textos, portanto alguns pós-jogos ficarão atrasados assim como alguns pré-jogos não serão feitos.


Como não terei como assistir todos os jogos deste período, não terei como fazer os pós-jogos até que consiga assistir ao VT ou ouvir a partida. Assim sendo, por motivos de organização do blog e falta de tempo, os pré-jogos também não serão feitos.
Assim que retomar as atividades normais (logo no primeiro dia de janeiro), atualizarei TODOS os pós-jogos faltantes, mas não farei o mesmo com os pré-jogos pois não há como prever algo que já aconteceu. Além disso, a equipe do blog preparou uma retrospectiva com todos os fatos que cercaram 2013 dos Pens... O post deverá ir ao ar logo no primeiro dia de janeiro.

Novamente me desculpo com os torcedores e leitores, mas espero que todos compreendam que a escassez no período é algo que não posso evitar. O blog não estará abandonado e após o fim de ano voltaremos com a programação normal.
Gostaria de ressaltar que nossa equipe preza pela qualidade das postagens, tal como a periodicidade. Não atoa, somos um dos únicos blogs brasileiros sobre um time da NHL que se mantém completamente atualizado e leva informações para todos os torcedores da franquia. Além disso, somos o maior distribuidor de notícias e reviews sobre o Penguins no Brasil!

Nossa equipe deseja à todos os torcedores do Penguins e leitores do blog um feliz natal e um próspero ano novo. Boas festas!!

sábado, 14 de dezembro de 2013

Pré Jogo - Penguins @ Red Wings


Classificação: Penguins (1º DM - 45pts) e Red Wings (4º DA - 39pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 34.
Horário: 22:00 de Brasília.
Dia: 14 de Dezembro (Sábado).
Local: Joe Louis Arena - Detroit, MI.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html

O Penguins mal teve tempo de comemorar a vitória suada e corrigir os erros da última partida. O time foi para Detroit onde enfrentará o Red Wings na Joe Louis Arena (palco do tricampeonato em 2009).
A dura missão da equipe é voltar de Michigan com 2 pontos e vencer um time que está precisando urgente de uma vitória, até pelo motivo dos Wings não vencerem à 3 jogos (sendo dois desses tropeços diante do Panthers).

A má-fase do time adversário pode ajudar? Sim, mas também pode atrapalhar. Não se sabe até que ponto a sequência sem vitórias está desmotivando o time ou motivando para sair dessa situação.
Além de que, o jogo é na Joe Louis Arena, diante de muitos torcedores que assim como o time, querem urgente uma vitória.

Neste ponto podemos ficar um pouco tranquilos, os Pens sabem melhor do que ninguém o quanto é difícil enfrentar um caldeirão lotado de torcedores dos Wings. A mística ao redor da Joe Louis Arena é sem dúvidas algo diferente de qualquer coisa no hóquei, o que torna uma partida contra o Red Wings (seja ela valendo míseros dois pontos ou uma Stanley Cup) sempre complicada.
Aliado a isso, o elenco adversário é um dos mais fortes da liga. É um dos pouco que mescla bem os jovens talentos e jogadores experientes que ainda conseguem atuar em alto nível. Certamente a má-fase não é por falta de habilidade dos jogadores...

Saindo um pouco do que diz respeito aos Wings e falando dos Pens, o time continuará desfalcado e terá ainda por cima o fator cansaço para atrapalhar ainda mais. Somente Fleury deverá ser poupado, dando sua vaga para Zatkoff... Os demais jogadores todos deverão jogar no mesmo esquema da partida passada.
O lineup é previsto para ser assim:

KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
JOKINEN - MALKIN - MEGNA
CONNER - SUTTER - VITALE
ADAMS - SILL - KOBASEW

MAATTA - LETANG
ENGELLAND - NISKANEN
DESPRES - BORTUZZO

ZATKOFF
FLEURY (backup)

Meu palpite é: Penguins 4 @ 2 Red Wings.

Pós Jogo - Penguins 3 vs 2 Devils


Parecia fácil, era pra ser fácil, mas não foi... O Penguins venceu o Devils com muita dificuldade, sofrendo até o último segundo, e o grande culpado por tudo isso é o próprio Penguins.
A equipe teve um primeiro período dominante e tinha tudo para repetir a atuação nos outros dois períodos, podendo até mesmo aplicar uma goleada no adversário e ganhar o jogo com show. Além disso parece que o time preferiu se acomodar, até deixar o adversário crescer no jogo e transformar o que parecia fácil em um tormento...

Após uma vitória nunca é bom criticar a equipe, até porque está longe do meu perfil como blogueiro ser um "corneta" que vê defeito em tudo. Mas, dessa vez não tem como deixar de citar que a vitória não foi merecida.
Se tomarmos os 20 primeiros minutos em consideração, e apenas eles, os Pens mereciam os 2 pontos. A partir do segundo período em diante, o Devils dominou o jogo e tinha tudo para vencer... Faltou qualidade ao adversário, e essa talvez foi a sorte do Penguins. Além disso tudo, não podemos deixar de citar os milagres de Fleury... Pensando bem a vitória até pode ser merecida, mas só se for por conta da atuação do goalie (que convenhamos, poderia facilmente ser comparado à um paredão neste jogo).

Fleury mereceu a vitória e até mesmo o jovem Megna mereceu a vitória... Os Pens como conjunto não mereceram. O jogo foi vencido mais pelo déficit técnico do adversário do que por méritos do Penguins.
O que importa são os 2 pontos? Certamente, e é por isso que ninguém vai reclamar em Pittsburgh e todos vão olhar para essa partida no passado e mal se lembrar do sufoco passado atoa. Mas, não se pode esquecer que os dois pontos são importantes agora, mas mais adiante o que valerá é como a equipe está jogando e se ela estará preparada para enfrentar equipes de nível técnico semelhante que estarão brigando pela taça... E com uma apresentação dessas, certamente o resultado não seria positivo.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Dupuis, Conner e Megna.
GOLS DO DEVILS: Nenhum.
SÍNTESE: O primeiro período foi completamente dominado pelo Penguins. Com um time muito sólido defensivamente e com um ataque fulminante, os Pens conseguiram concretizar uma boa vantagem nos primeiros 20 minutos de jogo. Foram 3 gols marcados, sendo o primeiro deles antes mesmo do jogo ter seu primeiro minuto concluído...
Os números falam por si só. Foram 12 shots do Penguins (com aproveitamento em 3 delas) contra apenas 7 do Devils, fora isso, as chances do time adversário eram em geral muito fáceis de serem interceptadas. Fleury teve pouco trabalho, foi um espectador privilegiado no primeiro período.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO DEVILS: Elias e Zubrus.
SÍNTESE: A postura no segundo período mudou completamente. O Penguins devastador que havia feito 20 minutos iniciais quase perfeitos ficou no vestiário, voltaram ao gelo jogadores sem vontade de vencer que acabaram sendo despertados da pior maneira.
O Devils tinha uma única oportunidade de voltar ao jogo, fazer dois gols rápidos e anular o jogo dos Pens. Por incrível que pareça, o time de Newark conseguiu exatamente o que precisava... Um pouco por mérito de seus jogadores, outra parte por culpa dos Pens que deixaram o jogo chegar à tal situação. O fato é que Elias e Zubrus fizeram um gol cada e deixaram a partida em aberto. O empate não veio por pouco, mais precisamente por falta de tempo.

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO DEVILS: Nenhum.
SÍNTESE: Os 20 minutos finais iniciavam-se completamente abertos. Por sorte o Penguins mudou um pouco a postura, mas ainda estava longe de atuar da mesma maneira que jogou no primeiro período... Aos poucos a equipe ia atacando mais, em compensação ia se abrindo mais defensivamente. Isso gerou boas chances ofensivas (que não foram aproveitadas) e sustos grandes em boas oportunidades do Devils que pararam em Marc-André Fleury, sem dúvidas o principal responsável pela vitória.
Só no terceiro período foram no mínimo 3 defesas espetaculares e muito difíceis. Algumas foram feitas contando com a sorte, outras foram no puro reflexo... Seja do jeito que for, Fleury pegou tudo e garantiu 2 pontos sofridos, que certamente poderiam ter sido conquistados com muito mais tranquilidade.


PLACAR FINAL: Penguins 3 vs 2 Devils.

OBS1: Dupuis foi muito inteligente ao acreditar na falha de Schneider e aproveitar do momento para abrir o placar aos 41 segundos de jogo.
OBS2: Megna foi sem dúvidas o melhor jogador ofensivo da equipe na partida. Fez um gol e mais do que isso, foi o único que não desceu de nível após o primeiro período.
OBS3: De todas as mazelas do segundo período, ao menos algo de bom podemos tirar, o PK. Atuaram muito bem e não deixaram nenhum PPG acontecer, mesmo com as chances do Devils.

TROFÉU DO JOGO: Fleury! Terceiro período fantástico, fez defesas inacreditáveis... Sem dúvidas o responsável pela vitória.
FOGUEIRA DO JOGO: Malkin. Começou muito bem, apararentava estar em um dia bom, mas seu desempenho caiu demais e ele foi um jogador praticamente nulo no gelo.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

James Neal se desculpa pela suspensão


Após uma jogada ilegal na derrota por 3 a 2 diante do Boston Bruins no dia 7 de dezembro, o winger James Neal foi suspenso por 5 partidas, além de receber uma multa nada amigável de aproximadamente 128,206 dólares.

Alguns dias após o ocorrido, o jogador veio publicamente se desculpar pelo ato impensado. Na ocasião, Neal deu uma joelhada na cabeça de Marchand, o que caracterizou um lance de covardia e lhe rendeu diversas críticas.
No pedido de desculpas o jogador enfatiza que cometeu um erro grave e aceita as imposições da liga, tanto no número de jogos fora quanto na multa monetária.

Outro lance deste jogo, envolvendo Orpik e Shawn Thornton ainda está sendo julgado, mas espera-se que o jogador do Bruins tenha uma suspensão no mínimo 3 jogos maior do que a de Neal.
Vale lembrar que o jogador adversário desferiu um soco em Orpik no chão, sem nem ao menos ambos terem brigado. A pancada lesionou o jogador dos Pens o que tornou a infração (também podendo ser chamada de covardia) mais grave...

Jersey do Stadium Series é revelada

(Foto retirada do site oficial do Penguins)

Após muitos rumores e um longo tempo de espera, a jersey que será utilizada no Stadium Series foi revelada! A camisa não faz referência à nenhum período histórico do Penguins e tem um visual que nunca foi utilizado antes. O capitão alternativo Chris Kunitz foi o jogador que apresentou a camisa pelas fotos...

Primeiramente a grande surpresa ficou por conta da jersey não ser predominantemente preta como muitos acreditavam em decorrência da imagem do patch (que fica no ombro direito), na verdade ela é branca com detalhes em dourado e preto.
O visual do símbolo ficou mais metalizado, mas não teve nenhuma alteração no formato. A camisa por sinal se parece um pouco com a utilizada na temporada 2007-2008, mas tem algumas pequenas alterações que à fazem um modelo único.
Os números também tiveram uma pequena alteração, recebendo um contorno mais forte e aumentando um pouco de tamanho, facilitando assim a vista dos torcedores que ficaram longe do gelo por conta das cadeiras do Soldier Field.

Dentre os torcedores houve uma grande divergência de opiniões. Muitos afirmam que acharam a camisa feia e sem significado nenhum, já que não homenageia nenhum momento histórico da franquia. Outros torcedores por sua vez gostaram muito da jersey e aprovaram o modelo único, alguns até mesmo querendo que esta se torne a camisa alternativa do time (algo que não é possível por conta da cor branca).

Quer conferir o vídeo de apresentação da jersey? Basta clicar aqui!

Esperamos que a camisa dê sorte aos Pens! Dia 01/03 tem o Stadium Series, direto de Chicago no Soldier Field, as informações sobre o evento você confere no blog!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pré Jogo - Penguins vs Devils


Classificação: Penguins (1º DM - 43pts) e Devils (5º DM - 30pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 33.
Horário: 22:00 de Brasília.
Dia: 13 de Dezembro (sexta-feira).
Local: Consol Energy Center - Pittsburgh, PA.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html

Em meio aos muitos desfalques e vitórias necessárias, o Penguins continua em Pittsburgh para uma folga de "3 dias" até sexta-feira (13/12) quando enfrenta o New Jersey Devils.
Um jogo contra uma equipe de mesma divisão, que certamente tem uma importância básica e simples: aumentar a vantagem diante de times que brigam diretamente com os Pens por uma vaga nos playoffs.

O único azar do Penguins é enfrentar o Devils, um time que tradicionalmente é "pedra no sapato" e que costuma aprontar quando vai á Pittsburgh. Mesmo sendo uma equipe tecnicamente inferior, não pode-se subestimar a franquia de Newark... Haja visto o último resultado em confrontos entre ambas as equipes, uma goleada por 4 a 1 com um quase shutout de Brodeur.

Se por um lado há azar, por outro os Pens tiveram muita sorte. Não havia momento melhor para uma parada de 3 dias sem jogos. O período certamente servirá para a recuperação de alguns jogadores que podem voltar ao lineup e diminuir os desfalques da equipe...
Scuderi pode ser um desses jogadores que voltarão e que certamente reforçará muito o fragilizado sistema defensivo que atualmente encontra-se cheio de duplas improvisadas e sem entrosamento.

Outro ponto positivo da parada é dar um descanso para alguns jogadores que certamente estão sobrecarregados, como é o caso de Letang e Jokinen. Ambos estão em uma maratona grande de jogos atuando constantemente em linhas improvisadas e deixando suas posições ou características de origem.

Ainda não se sabe quem será beneficiado com a parada e voltará aos lineups, mas especulasse que Scuderi volte e faça dupla com Letang. Neal continua fora por conta de sua suspensão de cinco partidas. De resto, o time provavelmente continuará improvisado e com a mesma base que efrentou o Blue Jackets.
O lineup provável é:

KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
JOKINEN - MALKIN - MEGNA
CONNER - SUTTER - VITALE
ADAMS - SILL - KOBASEW

SCUDERI - LETANG
MAATTA - NISKANEN
DESPRES - ENGELLAND

FLEURY
ZATKOFF (backup)

Meu palpite é: Penguins 4 vs 1 Devils.

Jersey do Stadium Series será anunciada sexta


Com o Stadium Series se aproximando o Penguins já iniciou as campanhas publicitárias para venda de ingressos e objetos referentes á partida mais midiática da temporada regular.
Entre estes objetos estão broches colecionáveis, copos e muitos outros utensílios... Mas, para o torcedor, o que realmente fica em evidência é a camisa que será utilizada pelos jogadores no confronto.

Muito se falava sobre a opção de se fazer uma camisa comemorativa, assim como foi feita nos dois últimos Winter Classics em que o Penguins participou. A hipótese parece ter sido confirmada e a diretoria optou por fazer uma jersey especial para o confronto do dia 1 de março... Resta saber como ela será e o que ela homenageará! A data para a resposta de todas as perguntas já foi dada, é na sexta-feira dia 13 aproximadamente ás 16:00 de Brasília.

O twitter oficial dos Pens divulgou por meio de uma imagem o patch que será colocado na camisa (foto da postagem). Por meio da imagem é possível especular duas hípoteses, a primeira é que a camisa não fará referência ao período azul dos Pens (ou seja, será diferente das duas últimas camisas) e a segunda é que a cor será preta...

Alguns blogs e canais não oficiais de informações sobre o Penguins especulam duas possíveis jerseys comemorativas.
Em aproximadamente 90% das informações, os redatores acreditam que a camisa deverá ser uma réplica do modelo 1991-1992, usada nos dois primeiros títulos da Stanley Cup. Os outros 10% acreditam que a mudança será um pouco maior e o modelo de referência deverá ser o de 1993 em diante, camisa que utiliza um símbolo diferente e alternativo.

Vale ressaltar que os ingressos para o Stadium Series já começaram a ser vendidos. Fora isso, a partida será transmitida no horário nobre da TV americana, algo que não acontecia com jogos de hóquei na temporada regular á muito tempo!
Os diretores de Blackhawks e Penguins estão levando muito a sério o evento, e parece que o departamento de vendas e marketing de ambas as equipes começarão a trabalhar muito nos próximos meses que antecedem o Stadium Series.

Pós Jogo - Penguins 2 vs 1 Blue Jackets


Vencer. Neste momento só isso basta, e mesmo não tendo feito uma boa partida, os Pens venceram e conquistaram os 2 pontos que não podiam ser perdidos para um time tecnicamente inferior.
Me desculpem aqueles que queriam um show e por isso ficaram desapontados, mas o número de desfalques e improvisações da equipe é tão grande que apenas vencer já bastava. Mesmo que inferiores, os Jackets jogavam com um time entrosado e com praticamente força máxima...

Se o time não convenceu, ao menos alguns jogadores tiveram motivos para arrancar aplausos da torcida. Entre eles o destaque fica por conta de Fleury. O goalie foi muito seguro na partida, fez defesas espetaculares e aguentou o peso de atuar com uma defesa praticamente inteira improvisada e composta por muitos defensores novatos.
Outro destaque foi Malkin, que foi relacionado para o jogo minutos antes da entrada da equipe no gelo. Geno voltava de uma pequena lesão e era dúvida para a partida, por fim acabou jogando e mais do que isso, sendo um dos principais responsáveis pela vitória...

Os demais jogadores fizeram aquilo que precisavam fazer. Jogaram o básico, algo que pode ser considerado ruim quando se diz respeito à gênios como Sidney Crosby, mas ao mesmo tempo pode ser excelente para jogadores que entraram de última hora no lineup com a responsabilidade de ajudarem na conquista da vitória, por exemplo Bortuzzo.
Em meio aos dois pontos da moeda, ao menos o basal garantiu a vitória e os 2 pontos, e no final é isso o que importa.

1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO BLUE JACKETS: Nenhum.
SÍNTESE: No primeiro período os Pens dominaram as ações do jogo e criaram algumas oportunidades, mas nenhuma delas gerando perigo ao gol adversário. Em contrapartida, mesmo não assutando, o Penguins também não era assutado... Fleury foi pouco exigido.
Em resumo foram 20 minutos em que os Pens tiveram maior posse do puck, trabalharam bem e concluíram mal. Já os Jackets mal entraram na partida e limitavam-se a defender e tentar em alguns momentos contra atacar.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Malkin.
GOLS DO BLUE JACKETS: Nenhum.
SÍNTESE: O segundo período começou diferente do primeiro. Logo no começo o Penguins abriu o placar com um gol de Malkin, o que deu mais tranquilidade para o time e fez com que as oportunidades ofensivas fossem mais bem trabalhadas. Sendo assim, após o gol os Pens assustaram bem mais, mas continuaram finalizando mal.
O Blue Jackets por sua vez aproveitou algumas brechas para contra atacar, criando chances muito boas. O time de Ohio quase empatou a partida diversas vezes, mas parou nas boas defesas de Fleury, que parecia intransponível na partida...

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS: Crosby.
GOLS DO BLUE JACKETS: Calvert.
SÍNTESE: Os 20 minutos finais seguiram o mesmo ritmo do segundo período, ou seja, ambas as equipes atacando e não conseguindo gols. Por um lado as chances eram mal finalizadas, por outro havia um goalie inspirado que não deixava nada passar. Foram inúmeras chances, mas somente 2 gols... Um para cada lado.
Os Pens começaram ampliando o marcador com uma jogada esquisita que acabou em um gol sem querer que Crosby fez com o joelho (e foi validado pelo juiz, o que gerou reclamações dos adversários).
Demorou, mas o Blue Jackets diminui o déficit faltando segundos para o fim. Calvert fez um gol que só serviu para impedir um shutout de Fleury, pois não havia tempo para reagir.

PLACAR FINAL: Penguins 2 vs 1 Bruins.

OBS1: Ficou clara a falta de Neal ao PP. Com ele o time é extremamente perigoso, sem ele é praticamente nulo neste setor. Várias oportunidades desperdiçadas nessa partida.
OBS2: Letang era o único dos 4 defensores principais do Penguins que estava no gelo. Nesta partida ele limitou-se mais a defender e foi muito bem, mesmo não sendo essa sua melhor área.
OBS3: Malkin voltou de lesão da melhor maneira possível. Gol e um bom jogo...
OBS4: Crosby fez um gol, buscou jogadas ofensivas, mas ficou longe de ser o jogador que todos conhecem. Ao meu ver, foi mediano.

TROFÉU DO JOGO: Fleury. Muito seguro e fazendo defesas espetaculares quando necessário. Uma pena que não tenha conseguido o shutout.
FOGUEIRA DO JOGO: Sutter. Teve uma atuação apagada e fez com que seus parceiros de linha não aparecessem muito na partida. Fora isso, teve um desempenho desastroso nos faceoffs que disputou...

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Pré Jogo - Penguins vs Blue Jackets


Classificação: Penguins (1º DM - 21pts) e Blue Jackets (7º DM - 27pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 32.
Horário: 22:30.
Dia: 09 de Novembro (Segunda-feira).
Local: Consol Energy Center - Pittsburgh, PA.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html

O Penguins volta de Boston com uma derrota na bagagem que custou a liderança da conferência e também acabou com uma fase de 5 vitórias seguidas.
Recuperar um momento bom é algo difícil, portanto nada melhor do que começar esta missão ao lado da torcida enfrentando um time teoricamente mais fraco, o Blue Jackets.

Os Pens precisam vencer por 3 motivos. O primeiro deles é claro e evidente, não tropeçar em casa diante de adversários tecnicamente piores. O segundo e o terceiro são em relação a manutenção da liderança da divisão e possível recuperação (ou ao menos continuar na briga) da liderança da conferência.
Vale ressaltar que estes são 2 pontos considerados fáceis, portanto espera-se uma vitória seja ela qual for. Os próprios torcedores com seus planejamentos e previsões já contam os 2 pontos como quase garantidos...

Deixando um pouco o favoritismo e focando-se no jogo, os Pens terá que jogar com uma segunda linha muito improvisada, já que Malkin e Neal estão fora... A aposta é para que Jokinen volte à ala esquerda e Sutter assuma o centro do ataque.
O lineup deverá ter o seguinte formato:


KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
JOKINEN - SUTTER - MEGNA
CONNER - VITALE - KOBASEW
ADAMS - SILL - ZOLNIERZCZYK

MAATTA - LETANG
NISKANEN - ENGELLAND
DESPRES - BORTUZZO

FLEURY
ZATKOFF (backup)

Meu palpite é: Penguins 4 vs 2 Blue Jackets.

Pós Jogo - Penguins 2 @ 3 Bruins


Após uma grande vitória em cima do Sharks, o Penguins viajou até Boston com uma postura totalmente diferente. O time que outrora demonstrou muita vontade e garra dessa vez pecou pela falta dela e acabou sendo surpreendido nos momentos finais... Castigo ou justiça?

Verdade seja dita, mesmo que dolorosa e nos minutos finais, a derrota diante do Bruins foi justa. Os Pens foram um time apático, sem grandes pretensões e somente jogou de fato no primeiro período.
Chegou a assustar nos outros dois? Sim, mas mais por erro adversário do que por construções de jogadas. Muito disso se deve à ausência de Malkin, que claramente foi sentida nos momentos de criação...

Já o time de Boston por sua vez também não fez um grande jogo. Tiveram algumas chances e souberam aproveita-las... Por mais que tenham feito uma partida parelha à dos Pens, buscaram mais a vitória e isso ficou evidente no terceiro período. A vitória só foi justa por um motivo: a vontade de vencer. Hóquei por hóquei o Bruins também não foi brilhante.


1º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS: Kunitz e Neal.
GOLS DO BRUINS: Smith.
SÍNTESE: No primeiro período a partida foi muito movimentada e equilibrada. Embora poucas chances tenham sido criadas (tanto pelo Penguins quanto pelo Bruins), as duas equipes buscaram muito o gol e não bastaram-se em apenas defender-se.
Os Pens rapidamente abriram o placar com um gol contra de Chara (que foi dado a Kunitz), mas perderam a vantagem minutos depois com um lindo gol de Smith pelo Bruins. Em um contra ataque rápido, Neal recolocou o Penguins em vantagem que perdurou até o fim dos 20 minutos iniciais.

2º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO BRUINS: Nenhum.
SÍNTESE: O ritmo do segundo período foi igual ao do primeiro, um jogo muito movimentado mais com poucas chances. Essas poucas no entanto sempre levavam perigo, foram ao todo dois breakaways para cada lado, fora os disparos que assustaram muito Rask e Fleury.
Porém, gols não aconteceram. A partida continuou 2 a 1 para o Penguins, mas pelas circunstâncias a vitória estava muito ameaçada. 20 minutos poderiam mudar tudo, e mudaram...

3º PERÍODO.
GOLS DO PENGUINS:
Nenhum.
GOLS DO BRUINS: Krejci e Chara.
SÍNTESE: No segundo período o Bruins voltou melhor e pressionou desde o começo. No entanto os gols só saíram bem no final do período (faltando um minuto e 17 segundos)...
Os Pens tiveram algumas poucas chances e contra-ataques. Neal teve uma boa oportunidade e Crosby teve um breakaway desperdiçado segundos antes do empate do time de Boston.
Por fim, os donos da casa acabaram levando 2 pontos em 2 minutos e derrotando o Penguins que realmente não mereceu vencer.


PLACAR FINAL: Penguins 2 @ 3 Bruins.

OBS1: Crosby fez um bom jogo na criação, mas finalizando foi muito mal. Desperdiçou chances que poderiam ter facilitado o jogo e trazido a vitória.
OBS2: Durante a partida houveram dois incidentes, um deles envolvendo Neal e Marchand que resultou na suspensão do jogador dos Pens por 5 partidas devido a uma joelhada. O outro acabou lesionando Orpik após golpes ilegais e covardes desferidos por Thornton quando o defensor do Penguins estava no chão.

TROFÉU DO JOGO: Kunitz. Fez um bom jogo, mas nada além disso. Teve chances boas e aproveitou uma delas.
FOGUEIRA DO JOGO: Dupuis? Ele entrou no gelo? Não fez absolutamente nada....

sábado, 7 de dezembro de 2013

Como os Pens jogam? - Uma breve análise sobre o estilo de jogo da equipe


Em meio aos muitos questionamentos que recebo pelo twitter oficial do blog (@PPenguinsBr) e pelos comentários do blog, um me chamou a atenção. A simples questão de como os Pens jogam pode ser respondida de diversas maneiras, até por ser algo relativo.

Sendo assim decidi responder aos que me fazem essa pergunta mostrando o meu entendimento e a minha análise sobre o estilo de jogo dos Pens até o momento na temporada 2013-14. Citarei pontos que me agradam e pontos que me desagradam, além de fazer uma breve síntese do modo pelo qual Bylsma monta as estratégias da equipe ao meu ver.

Lembrando à todos os leitores que análises como essa são relativas, portanto sugiro que procurem por outras fontes e informações para terem uma resposta completa para tal questionamento, além de é claro assistir aos jogos e exercitar o seu conhecimento sobre hóquei (algo as vezes difícil para nós acostumados com a cultura do futebol).

Também vale ressaltar que o modelo muda muito em decorrência dos jogadores que formam o lineup e do advesário. O próprio Dan Bylsma tem diversas estratégias diferentes para não cair na mesmice.
A análise é apenas uma perspectiva pessoal de uma base projetada de como a equipe vem atuando na maioria das partidas quando conta com força máxima.

Afinal, como jogam os Pens ofensivamente? Ao meu ver o Penguins é um time que aposta muito em valores individuais, sobretudo em seus dois centers da primeira e segunda linha, Crosby e Malkin respectivamente. Esses dois jogadores são os termômetros da equipe e os grandes responsáveis por guiar o time diante das partidas. Quando estão em um bom dia, certamente seus parceiros de linha também se beneficiarão com isso... Mas, quando estão em dias ruins, a linha inteira acaba ficando comprometida.
Em meio a essa constatação, os wingers de ambas as linhas ficam submissos ao modo de jogo dos centers. Sendo Crosby e Malkin dois jogadores que apostam muito em jogadas em velocidade com um controle invejável do puck, os demais jogadores que jogam ao lado deles acabam na grande maioria das vezes sendo beneficiados por jogadas com trocas de passes rápidas que necessitam apenas de um disparo certeiro para entrarem no gol. Os dois que mais se destacam nesse quesito finalização são Neal e Kunitz.
Visto isso, eu entendo a maioria das jogadas ofensivas do Penguins como oportunidades criadas rapidamente envolvendo o advesário em uma rápida troca de passes que geralmente resulta em uma chance perigosa com pouca marcação. Dificilmente vejo a equipe trabalhando o puck na zona ofensiva, é quase na maioria das vezes um ataque rápido e certeiro...
Nas poucas vezes em que o puck é trabalhado (em grande parte no PP ou em situações de jogo em que o adversário está bem fechado defensivamente) a predominância é de que alguns defensores com bons disparos (Letang por exemplo) acabem sendo os finalizadores. Se não há espaço para isso, o time geralmente procura retrabalhar o puck de maneira rápida para envolver o adversário.
Em resumo: Ofensivamente o Penguins é uma equipe que preza pela velocidade e não tanto pela qualidade. Jogam buscando oportunidades que pegam o adversário de surpresa e só abandonam este estilo em situações com vantagem numérica, em que geralmente as equipes contrárias prezam mais por se defender. Geralmente é preferível partir com o puck dominado do que tentar busca-lo por meio do físico no campo adversário, ou seja, na maioria das vezes a construção da jogada inicia-se no próprio campo defensivo ou na zona neutra.
Pontos positivos: Tendo Malkin e Crosby, as jogadas deste modo funcionam muito bem devido ao nível técnico de ambos combinado ao bom posicionamento dos wingers. Sendo assim, jogar em velocidade é melhor para evitar o jogo físico demasiado e pegar o adversário de surpresa.
Pontos negativos: Ataques dessa maneira se bem estudados ficam fáceis de serem marcados e acabam ficando sujeitos à jogadas geniais, além de que em certos momentos acabam gerando uma abertura muito grande defensivamente e oportunidades claras de contra ataque adversário.

E como o Penguins se comporta defensivamente? Os Pens tem muita qualidade nas duplas defensivas, mas o ideal de ficar atrás e esperar o adversário só entra em prática quando estão no gelo a terceira e quarta linha ofensiva (ambas tem características defensivas, com centers e wingers que dão um bom apoio para a defesa).
Fora isso, vale ressaltar que o estilo de jogo defensivo preza muito pela patinação dos integrantes e pouco pelo jogo físico. Com exceção de Orpik, Scuderi e Letang, os demais jogadores não tem uma grande presença física e atuam melhor em desarmes utilizando-se da velocidade.
Em resumo: A velocidade é mais empregada do que a brutalidade física. Em alguns casos é necessário sim jogar fisicamente, mas não é o método mais utilizado.
Pontos positivos: O estilo empregado evita algumas penalidades ocasionais (não por completo) e facilita nas ligações ataque-defesa.
Pontos negativos: Ao se confrontar contra um ataque habilidoso e mais rápido, a defesa tem poucas artimanhas para brecar as ofensivas adversárias.

Resumindo o modelo de jogo: O Penguins é um time que depende do individual para o bem do conjunto, tendo como ditadores do modelo de jogo os centers Malkin e Crosby. Estes por sua vez adaptaram o estilo do Pens em estratégias voltadas para a velocidade nas transições ataque-defesa com o puck já dominado a partir da zona defensiva, conseguido na maioria das vezes em decorrência dos desarmes em velocidade dos defensores. A zona neutra tornou-se apenas uma passagem para que as oportunidades sejam criadas rapidamente na zona ofensiva, sem nenhuma demora na execução da finalização ou espera pela reorganização adversária (exceto em casos de PP), além de que a força física não é utilizada com frequência pelo fato do puck já estar dominado e não precisar ser "batalhado" na zona defensiva adversária.

Gostou da breve análise? Faça sua breve descrição do modelo de jogo da equipe nos comentários e cite os pontos de acordo e desacordo!

Notícias do departamento médico


A temporada mal começou e as lesões já tornaram-se um problema para Dan Bylsma. Os jogadores expostos a uma série de jogos e viagens em curto espaço de tempo acabam sendo as principais vítimas de desgastes físicos que geram alguns problemas.
Fora isso, a intensidade no jogo, tais quais os hits e checks sofridos e alguns sacríficos para evitar e/ou marcar gols acabam criando alguns problemas.

Atualmente os Pens 9 jogadores em observação do departamento médico, muitos deles com previsões de volta e outros ainda em processo de avaliação. Dentre esse grupo, outros 2 jogadores que recentemente voltaram ao gelo ainda preocupam por alguns motivos.

Nós do blog Pittsburgh Penguins Brasil preparamos um resumo do estado de cada jogador com suas devidas previsões, que podem ser acertadas ou erradas de acordo com a evolução de cada quadro. Lembrando que sempre é levado em conta o estado físico do jogador, que deve estar em 100% recuperado para que ele volte à participar da maratona extensa de jogos.

KOBASEW
Estado:
Disponível para jogo.
Observações: Chuck Kobasew passou um longo período em recuperação e aparentemente está 100% recuperado. O jogador ainda recupera ritmo de jogo e vem atuando na quarta linha em busca de recuperar o que foi perdido em decorrência da lesão.

D'AGOSTINI
Estado:
Disponível para jogo.
Observações: Aparentemente D'Agostini já está recuperado faz muito tempo, mas o jogador ainda se queixa de algumas dores. Não se sabe a veracidade destas informações e muitos dizem que são apenas rumores de mídia para explicar sua ausência nos lineups.

SCUDERI
Estado:
Em fase final de recuperação.
Observações: Scuderi em breve poderá voltar ao gelo. As previsões são de que até o fim do mês o defensor já esteja novamente integrado à equipe e em condições normais de jogo.

BENNETT
Estado:
Em fase inicial de recuperação.
Observações: Bennett passou por uma cirurgia na mão e ficará até 8 semanas fora. Isso significa que o jogador só voltará ao gelo em meados de janeiro caso a recuperação ocorra bem, em caso de complicações ele provavelmente só atuará depois das Olimpíadas de Inverno.

VITALE
Estado:
Em recuperação.
Observações: Joe Vitale ainda está se recuperando e não há previsão de volta. A lesão aparentemente não é grave e não deverá tomar muito tempo do jogador... Alguns acreditam que ele volte antes do ano novo.

MARTIN
Estado: 
Em recuperação.
Observações:
Pouco se sabe sobre a lesão de Martin, mas pelo que parece é algo mediano. O jogador não tem previsão de retorno, embora em meio a escassez de informações existam alguns que dizem que sua volta ao gelo está próxima e não passará de 15 dias (fontes não confiáveis).

GLASS
Estado:
Em recuperação.
Observações: Glass teve um problema sério, quebrou a mão direita, o que levará tempo para recuperação. Ainda não se sabe a data prevista de volta, mas dificilmente o jogador atuará antes do ano novo. Aparentemente o fim de janeiro é uma boa data para fazer previsões...

MALKIN
Estado:
Sendo avaliado.
Observações: Geno teve uma pequena lesão que não tende a ser grave, mas ainda passará por exames para decretar a real gravidade do problema. Em processo de avaliação, o center russo deverá ficar de fora por 2 semanas caso tudo ocorra como previsto, em hipótese de algo mais grave seu retorno ficaria sem data prevista.

VOKOUN
Estado:
Em recuperação.
Observações: Se recuperando de um problema que quase o matou, Vokoun ainda pensa se vale a pena voltar a jogar. Algumas fontes não confiáveis preferem acreditar que o goalie nunca voltará ao gelo, outras que o próprio confirmou serem verdadeiras afirmam que em 4 meses ele estará de volta para ser backup de Fleury.

EBBETT
Estado: Em fase inicial de recuperação.
Observações: Ebbett recentemente quebrou o tornozelo e provavelmente ficará de fora o mesmo tempo que Scuderi ficou, ou seja, 1 mês e meio no departamento médico caso a recuperação seja boa. Ainda existem chances de existirem complicações e o jogador perder por cerca de 3 meses de jogos.

DUPUIS
Estado: Sendo avaliado.
Observações: Dupuis reclama de algumas dores e acusa uma lesão, mas mesmo assim continua viajando com a equipe e jogando (o que pode agravar o quadro). Para os próximos jogos ele sempre será dúvida, até que sua avaliação seja feita e seja constado se há ou não uma lesão para ser tratada de maneira que ele perca algumas partidas.

Pré Jogo - Penguins @ Bruins


Classificação: Penguins (1º DM - 41pts) e Bruins (2º DA - 38pts).
Jogo: Temporada regular - Jogo 31.
Horário: 22:00 de Brasília.
Dia: 07 de Dezembro (Sábado).
Local: TD Garden - Boston, MA.
Link para assistir: http://firstrownow.eu/sport/ice-hockey.html

O que esperar de um confronto entre Penguins e Bruins? Para muitos, a espera é por um grande jogo, já que diante da grande mídia as duas são as melhores equipes do leste. Não atoa fizeram a final da conferência na temporada passada e tem grandes chances de repetir o feito nessa...

Por si só um jogo entre Pens e Bruins sempre é uma promessa de um show a parte, mas na atuação situação em que se encontram as duas equipes o confronto tende a ficar ainda mais acirrado.
Isto porque o Penguins atualmente lidera com folga a divisão metropolitana, as atenções estão voltadas para a liderança da conferência, que se vê ameaçada pelos times da divisão do atlântico, esta que por sua vez tem o Bruins como vice-líder (apenas um ponto atrás do Montreal Canadiens).
Ou seja, para os Pens é um confronto quase que direto por melhores colocações na conferência...

E para o Bruins? Para o time de Boston a importância é até maior! Além da liderança da conferência, o Bruins também quer recuperar a liderança da divisão, que foi perdida na ultima rodada e está apenas a uma vitória de ser reconquistada.
Além disso, perder neste momento significaria problemas para a equipe. Red Wings, Lightning e Maple Leafs estão esperando um eventual tropeço para conseguirem assumir posições mais elevadas na tabela, o que custaria ao Bruins a posição de conforto que se encontram no momento.

Para vencer ambas as equipes contam com um time que não tem força máxima. Os desfalques são notáveis em ambos os lados, mas o Penguins leva uma ligeira desvantagem neste quesito, isto porque além das inúmeras lacunas no sistema defensivo (com falta de Martin e Scuderi), o time também terá que jogar sem Evgeni Malkin, o que significa a improvisação nas linhas ofensivas e perda de um jogador com potencial de sobra para definir o jogo.

Precisando da vitória e com problemas para a montagem do time, Dan Bylsma terá que se virar com as peças disponíveis e torcer por um time com a mesma postura da última partida.
O lineup provável tem as mesmas caras do último jogo, com algumas pequenas alterações na montagem das linhas. A base tende a ser:
KUNITZ - CROSBY - DUPUIS
MEGNA - JOKINEN - NEAL
CONNER - SUTTER - SILL
ADAMS - ZOLNIERCYZK - KOBASEW

ENGELLAND - ORPIK
MAATTA - LETANG
NISKANEN - DESPRES

FLEURY
ZATKOFF (backup)

Meu palpite é: Penguins 3 @ 1 Bruins.