TRICAMPEÃO DA STANLEY CUP! LET'S GO PENS!

sábado, 6 de abril de 2013

Pittsburgh - A cidade mais vencedora dos EUA.

Ficheiro:PittSkyline082904.jpg

Em um especial de apenas uma parte estendida, resolvi homenagear todos os torcedores do Steelers, Pirates e Penguins, tal qual todas as pessoas que tem uma afinidade pela cidade de Pittsburgh.
Em meu primeiro especial para o blog, resolvi justamente falar sobre a cidade dos campeões, que também é a cidade dos Pens!

Pittsburgh - A cidade mais vencedora dos EUA.


Pittsburgh, também chamada de Steel City (cidade do aço) ou City of Champions (cidade dos campeões) foi uma importante cidade americana durante a segunda revolução industrial. O principal papel exercido nesse período foi o de matriz das grandes siderúrgicas chegando a ser a cidade com maior produção de aço do mundo.
Atualmente, Pittsburgh é um importante polo americano nas áreas de robótica e no âmbito medicinal (biomedicina e biotecnologias).

Mas, o que falar sobre o aspecto geográfico? A população da cidade é estimada em 305 720 habitantes, sendo assim a segunda maior cidade da Pensilvânia, ficando atrás somente da Filadélfia.
A extensa área de 151,10 km² é praticamente inteira urbanizada, sendo o aspecto geral da cidade muito agradável e atualmente pouco poluído (Pittsburgh tem uma das maiores fiscalizações e um dos melhores sistemas antipoluição dos EUA, isso se deve a antigos problemas referentes as siderúrgicas que geraram diversas doenças a população local).

Economicamente, Pittsburgh também é um grande centro americano e está englobada na megalópole de Chi-Pitts (Chicago, Detroit, Filadélfia e Pittsburgh). Muito do dinheiro da cidade é proveniente de impostos e vendas de artigos robóticos...

Mas, não são somente aspectos geográficos e econômicos que fazem com que Pittsburgh seja uma das cidades mais notáveis dos EUA. No âmbito do esporte, há um fato muito curioso que faz com que a cidade ganhe um grande destaque, sendo ele inclusive internacional.
Se o declínio das siderúrgicas pretendia tirar o nome de Pittsburgh nos anos 70,80 e 90, o esporte não deixou e contribuiu muito para que a cidade não deixasse de ser tão notável quanto é hoje.

Mas para falarmos de esporte, que tal pintarmos esse texto de preto, branco e amarelo (golden vegas)? É impossível falar dos principais times da cidade sem citar essas 3 cores que são comuns a todos!
Em uma estratégia de marketing, e até mesmo uma tradição criada, Pirates, Steelers e Penguins tem as mesmas cores até hoje! Essa é uma entre as várias características comuns que as 3 equipes tem em comum...
E alías, somados todos os títulos conquistados entre as 3, temos um total de 14 conquistas. Lembrando que Pittsburgh não tem nenhum time profissional na NBA, sendo assim, ao considerarmos apenas a NFL, NHL e MLB teremos uma das maiores marcas de somatório de conquistas esportivas dos times de uma cidade! Tal fato contribuiu muito para que no cenário esportivo americano a cidade ficasse conhecida como "terra dos campeões".

E a "terra dos campeões" começou a trilhar seu caminho de glórias em 1909 quando o Pittsburgh Pirates venceu pela primeira vez a World Series dando a cidade seu primeiro título em uma grande liga americana. Anos depois veio a segunda conquista no beisebol, mais precisamente em 1925 em uma virada histórica na série de 7 jogos finais. Na ocasião, o Washington Senators estava com uma vantagem de 3 a 1, mas o Pirates conseguiu reverter a situação desfavorável e trazer a taça para Pittsburgh.
Em 1927, por pouco o beisebol não deu o terceiro título para a cidade... A final do World Series entre Pirates e Yankees terminou com vitória dos nova iorquinos, que até hoje são considerados a melhor equipe da história da MLB.


Após os 2 primeiros triunfos no beisebol, o Pirates viveu um período de seca que fez com que a população da cidade passasse a observar com mais cuidado os outros esportes. Nascia então, o Pittsburgh Steelers! Mas, os reflexos da Segunda Guerra Mundial desfavoreceram muito o segundo maior time da cidade, a franquia de futebol americano, na época, unida ao Chicago Cardinals não engrenava e chegava a apresentar sinais de falência.
Em resumo, os anos 30,40 e 50 não foram muito satisfatórios para os amantes de beisebol e nem de futebol americano da cidade.


Em 1960, uma vitória na World Series sobre o New York Yankees colocou fim a seca de títulos da cidade! Além de ter vingado a última derrota em 1967, o Pirates liderado por Bill Mazeroski fizeram com que o Yankees nunca mais esquecesse o homerun da vitória, um dos mais lembrados de toda a história da MLB.
Mais tarde, em 1970 o quarto título chegou para consolidar os Bucs (apelido do Pirates) como um dos melhores times de beisebol dos EUA.
Na década de 60 também houve a fundação de uma nova equipe da cidade, o Pittsburgh Penguins nascia para ser a franquia de hóquei no gelo que integraria a NHL em sua primeira expansão.



Com o fim da segunda revolução industrial acontecendo aos poucos, a cidade perdia sua principal rota econômica. Em meados de 1970 o fim das siderúrgicas já estava consolidado. Mas se engana quem pensa que tal fato afetou os times da cidade.
Necessitados, os moradores que haviam perdido as siderúrgicas teriam que se apoiar em algo para continuarem fazendo de sua convivência na cidade algo agradável. O esporte foi a saída e a década de 70 foi uma das mais gloriosas de todas para Pittsburgh!
O Steelers, sobre o comando de Chuck Noll, tornou-se a maior potência do futebol americano e venceu 4 títulos na década inteira (74, 75,78 e 79). Nesse momento surgiu a tradição das toalhas amarelas nas arquibancadas (Terrible Towel), que posteriormente se tornou uma prática muito comum em todas as ligas americanas.
Os Pirates também não passaram em branco e repetiram o feito de 1970 se tornando bicampeões em 1971, na ocasião o grande nome do time foi Clemente que morreu tragicamente em um acidente de avião. Até hoje ele é considerado o melhor jogador da história do Pirates! Em 1979 veio o último título da franquia em um ano onde a cidade pode comemorar no beisebol e no futebol americano.


Se em 1970 Pittsburgh foi a cidade com maiores vencedores nos esportes, 1980 foi o contrário. Nem Pirates, nem Steelers e nem Penguins venceram suas ligas e deixaram a cidade por 10 anos sem nenhum título de grande expressão.
O Steelers era a franquia que melhor figurava o cenário americano, sempre estando cotada com uma das favoritas ao título da NFL.
Já Penguins e Pirates viviam momentos péssimos que desanimavam os torcedores, o resultado foi o abandono de ambas as equipes por parte dos fans.

Em 1991, inicio da década de 90, a expectativa era de que a seca de títulos terminasse e o grande favorito a dar fim aos dias escuros da cidade era a franquia mais nova, de hóquei no gelo, o Pittsburgh Penguins.
Liderados pelo canadense Mario Lemieux, o Penguins atendeu as expectativas e trouxe pela primeira vez a Stanley Cup para a cidade do aço! Um ano depois, em 1992 o bicampeonato veio sem dificuldades após uma vitória esmagadora sobre o Chicago Blackhawks na série final.
O hóquei passava a ser um dos esportes mais comentados na cidade, uma vez que o Pirates não conseguia chegar a World Series, mesmo estando com um bom time.
O Steelers por sua vez, abandonava o posto de melhor time de futebol americano dos EUA e passava a dividir seu status de potência com diversas outras franquias do esporte que se tornava o número um no país.


Mas, passados os anos de glórias do Penguins, a franquia enfrentou diversos problemas financeiros que culminaram em um fim de década péssimo. Mario Lemieux por sua vez, resolveu continuar na equipe mesmo com seus diversos problemas de saúde que o impediam de jogar o mesmo hóquei que o consagrou.
Os anos finais da década de 90 foram marcados pela fraqueza dos 3 grandes times de Pittsburgh, que deixava seu status de cidade dos campeões.

Porém, a redenção não tardou a acontecer e no século XXI Pittsburgh reencontrou o caminho das glórias e retomou o posto de "terra dos campeões".
O primeiro time a ajudar no processo de reestruturação do esporte na cidade foi o Steelers que ganhou um novo estádio em 2001 (Heinz Field) e um novo título em 2005 no SuperBowl XL. Paralelamente a isso, tanto Pirates quanto Penguins continuavam vivendo maus períodos, sendo o último deles vítima de rumores de falência e troca de cidade.
Com a chegada de um novato no time de hóquei, as expectativas de um ressurgimento do Penguins no cenário mundial aumentaram. Sidney Crosby era tratado como um dos maiores jogadores que existiriam do esporte, e por fim acabou sendo draftado para jogar nos Pens.
O mais novo integrante do Pittsburgh Penguins mostrou resultado e juntamente a outros jovens jogadores liderou o time as finais de 2008, por fim acabou sendo derrotado pelo Red Wings. Menos mal, que no mesmo ano o Steelers venceria seu sexto SuperBowl, com uma vitória sobre o Arizona Cardinals.


Um ano após perder a final, o Penguins ainda mantinha a mesma base que havia surpreendido a todos ao se reestruturar em tão pouco tempo. O aumento no número de torcedores e o ressurgimento do esporte como meio de lazer em Pittsburgh empurraram a equipe a tentar vencer a liga pela terceira vez.
O resultado foi o tricampeonato, em cima do mesmo Detroit Red Wings que havia "tomado" a copa das mãos da cidade em 2008.
Já o Steelers acabou por chegar no SuperBowl XLV em 2010, mas perdeu a final para o Green Bay Packers.


Atualmente a cidade continua com seu aspecto de campeã, o Penguins que trouxe o último grande título continua como a maior esperança de mais uma conquista. Tanto Steelers quando Pirates também figuram bem entre as equipes de suas respectivas ligas.
Para terminar meu especial com uma curiosidade, tenho aqui uma imagem que mostra a proximidade entre os estádios dos 3 times que citei durante todo meu texto. Em amarelo está a PNC Park, casa dos Pirates, já em branco está o Heinz Field, casa do Steelers, e por fim, de preto está a Consol Energy Center, casa do Penguins. (Imagem do Google Earth!).

Comentários
5 Comentários

5 comentários:

Yorran Bergamaschi disse...

Ótimo artigo. Sempre quis saber mais sobre os Steelers. :)

Paulo disse...

Mto bom esse post!!!

P.A Coimbra disse...

Yorran e Paulo.

Obrigado! Aos poucos vou fazendo especiais como esse, acredito que lance 1 a cada 2 meses com vários temas que tenho em mente...

Renan disse...

A Mellon Arena tb era aí perto das pontes, não?
Não sei se falei besteira... rs

P.A Coimbra disse...

A Mellon Arena era onde é o atual estacionamento da CEC... A nordeste da onde está escrito Pittsburgh!

Postar um comentário